Um Estudo sobre o Formulário de Gerenciamento de Risco Utilizado em Voos Militares de Aeronaves de Asas Rotativas

Palavras-chave: Gerenciamento de risco, Formulário de gerenciamento de risco, Aeronaves de asas rotativas, Helicópteros, Exército Brasileiro

Resumo

RESUMO

O gerenciamento de risco é uma atividade essencial para que as organizações com ou sem fins lucrativos executem seus projetos de maneira eficiente. Em uma atividade aérea – como no caso de um voo militar – técnicas (brainstorming, briefings etc.) e ferramentas (formulários de gerenciamento de riscos) são utilizadas para o auxílio do gerenciamento dos riscos. Diante disso, este estudo teve como objetivo verificar se o formulário de gerenciamento de risco (FGR) utilizado pelos militares de uma organização militar da aviação do Exército é adequado para as fases de identificação, análise, classificação e implementação de respostas aos riscos de um voo. Para tal, foram realizadas análises documentais de 21 formulários de gerenciamento de risco e aplicado um questionário para os pilotos responsáveis pelo preenchimento do FGR a fim de verificar qual a visão dos militares em relação à sua utilização. Os resultados evidenciaram que o FGR, apesar de necessitar de algumas melhorias, na concepção dos responsáveis pela identificação, análise, classificação e implementação de respostas aos riscos, é adequado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sr. Victor Borges da Silva, Universidade de Taubaté

Mestre em Gestão e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Taubaté (UNITAU). Possui graduação em Logística pela UNITAU (2015), graduação em Administração pela UNITAU (2018) e MBA em Gestão de Projetos pela Universidade de São Paulo (2019).

Profa. Luisa Canella Cardoso, Universidade de Taubaté

Mestranda em Linguística Aplicada pela Universidade de Taubaté e possui graduação em Letras - Português/Inglês pela Universidade Salgado de Oliveira (2007). 

Dra. Risely Ferraz-Almeida, Universidade de São Paulo

Doutorado pela UNESP e University of Minnesota (2017) e Pós-doutorados (USP/ESALQ, 2019; 2021) em Ciência do Solo.

Referências

ARAUJO, E. E. L. Gerenciamento de risco em projetos de investimento: estudo de caso em uma empresa de transporte ferroviário. 2016. 73 F1. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Engenharia de Produção). 2016. Faculdade de Engenharia da Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, 2016. Disponível em: https://www2.ufjf.br/engenhariadeproducao//files/2016/12/Everton-Araujo.pdf. Acesso em 20 OUT 2021.

ABNT NBR ISO 3100. ISO 31000, Gestão de Riscos – Princípios e Diretrizes, Rio de Janeiro, RJ, 2009. Disponível em: https://gestravp.files.wordpress.com/2013/06/iso31000-gestc3a3o-de-riscos.pdf. Acesso em 20 OUT 20 21.

BARALDI, P. Gerenciamento de riscos empresariais. Cia do eBook, 3ª Edição, Timburi, São Paulo, 2018.

BRANDT, S. S. A melhoria da qualidade na elaboração dos projetos do exército brasileiro construídos com base nas NEGAPEB. 2019. 20 Fl. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização – Curso Gestão, Assessoramento e Estado-Maior) - Escola de Formação Complementar do Exército, Salvador, BA, 2019. Disponível em: https://bdex.eb.mil.br/jspui/bitstream/123456789/4057/1/CGAEM_2019.1_41.TC_TCC_Brandt.pdf. Acesso em 29 OUT 2021.

BRASIL. Aplicativo formulário de gerenciamento de risco. 2021a. Disponível em: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.mil.eb.avex.gerrisco. Acesso em 29 OUT 2021.

BRASIL. Caderno de Instrução de Prevenção de Acidentes e Gerenciamento de Risco nas Atividades Militares (EB70-CI-423). 1ª Edição, Brasília, DF, 2019a. Disponível em:https://pt.scribd.com/document/428418942/Caderno-de-Prevencao-de-acidentes. Acesso em 29 OUT 2021.

BRASIL. Manual de Campanha EB70-MC-10.358 – Batalhão de Aviação do Exército. 1ª Edição, Brasília, DF, 2020. Disponível em: https://bdex.eb.mil.br/jspui/bitstream/123456789/7400/1/EB70-MC-10.358_-_BATALH%C3%83O_DE_AVIA%C3%87%C3%83O_DO_EX%C3%89RCITO.pdf. Acesso em 30 OUT 2021

BRASIL. Manual de Campanha EB70-MC-10.358 – Batalhão de Aviação do Exército – COTER. 1ª Edição, Brasília, DF, 2020. Disponível em: https://bdex.eb.mil.br/jspui/bitstream/123456789/7400/1/EB70-MC-10.358_-_BATALH%C3%83O_DE_AVIA%C3%87%C3%83O_DO_EX%C3%89RCITO.pdf. Acesso em 01 NOV 2021.

BRASIL. Manual Técnico da Metodologia de Gestão de Riscos do Exército Brasileiro (EB20-MT02.001), 1ª Edição, Brasília, DF, 2019b. Disponível em: http://www.eb.mil.br/exercito-brasileiro?p_p_id=101&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&_101_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_assetEntryId=12613800&_101_type=document&inheritRedirect=false&redirect=http%3A%2F%2Fwww.eb.mil.br%2Fexercito-brasileiro%3Fp_p_id%3D101%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dmaximized%26p_p_mode%3Dview%26_101_struts_action%3D%252Fasset_publisher%252Fview. Acesso em 02 DEZ 2021.

BRASIL. Normas para elaboração, gerenciamento e acompanhamento de Projetos no Exército Brasileiro – NEGAPEB. 2º Edição, Brasília, DF, 2013. Disponível em: http://www.epex.eb.mil.br/images/pdf/documentos_download/nega-peb.pdf. Acesso em 28 de OUT 2021.

BRASIL. Operação Ricardo Kirk utiliza instalações do Comando de Aviação do Exército, em Taubaté. Ministério da Defesa, 2021b. Disponível em: https://www.gov.br/defesa/pt-br/centrais-de-conteudo/noticias/operacao-ricardo-kirk-utiliza-instalacoes-do-comando-de-aviacao-do-exercito-em-taubate. Acesso em 28 OUT 2021.

CENIPA - Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. Sumário Estatístico de Helicópteros. 2019. Disponível em: https://www2.fab.mil.br/cenipa/index.php/estatisticas. Acesso em 04 FEV 2022

DIAS, C. A. GRUPO FOCAL: técnica de coleta de dados em pesquisas qualitativas. Informação & Amp; Sociedade: Estudos, v. 10, n. 2, 2000. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/330. Acesso em 31 OUT 2021.

GHADGE, A., DANI, S., KALAWSKY, R. Supply chain risk management: present and future scope. International Journal of Logistics Management, v. 23, n. 3, p. 313-339, 2012. Disponível em: https://doi.org//10.1108/09574091211289200. Acesso em 21 OUT 2021

IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Gerenciamento de riscos corporativos: evolução em governança e estratégia. São Paulo, SP, 2017. Disponível em: https://www.egov.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/03/IBGC-%E2%80%93-Gerenciamento-de-Riscos-Corporativos-%E2%80%93-2017.pdf. Acesso em 28 OUT 2021.

RABECHINI JUNIOR, R., CARVALHO, M. M. Relacionamento entre gerenciamento de risco e sucesso de projetos. Associação Brasileira de Engenharia de Produção - Production, São Paulo, v. 23, n. 3, p. 570-581, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-65132012005000091. Acesso em 22 OUT 2021.

NÓBREGA, M. M., NETO, D. L., SANTOS, S. R. Uso da técnica de brainstorming para tomada de decisões na equipe de enfermagem de saúde pública. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, DF, v. 50, n. 2, p. 247-256, abr./jun 1997. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-71671997000200009. Acesso em 26 OUT 2021.

PEREIRA, R. A. O uso de helicópteros em operações urbanas de Garantia da Lei e da Ordem: comparação de métodos para o Gerenciamento de Riscos.2020. 94 Fl, Dissertação (Mestrado em Ciências Aeroespaciais) - Universidade da Força Aérea, Brasília, DF, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.13140/RG.2.2.21957.58081. Acesso em 04 NOV 2021.

PIOVESAN, A., TEMPORINI, E. R. Pesquisa exploratória: procedimento metodológico para o estudo de fatores humanos no campo da saúde pública. Revista Saúde Pública, São Paulo, SP, v. 29, n. 4, p. 318-325, 1995. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-89101995000400010. Acesso em 26 OUT 2021

PMBOK. Project Management Institute - PMI. Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos. 6 Ed. Project Management Institute, Newtown Square, PA, USA, 2017.

PUEHRINGER, P. H. NEGAPEB E PMBOK como ferramentas de eficácia para a elaboração do plano anual de contratações do Exército Brasileiro. 2021. 24 Fl. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Gestão, Assessoramento e Estado-Maior) - Escola de Formação Complementar do Exército, Salvador, BA, 2021. Disponível em: https://bdex.eb.mil.br/jspui/handle/123456789/9264. Acesso em 29 OUT 2021.

SANTOS, A. G. O armamento empregado pela esquadrilha de helicópteros de emprego geral nas operações de cooperação e coordenação com agências no rio de janeiro: uma necessidade de mudança. 2019. 41 Fl. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Ciências Militares) - Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais do Exército Brasileiro, Rio de Janeiro, RJ, 2019. Disponível em: https://bdex.eb.mil.br/jspui/bitstream/123456789/4755/1/Artigo%20-%20Cap%20GRESSLER.pdf. Acesso em 29 OUT 2021.

SANTOS, L. C. B.; SOUZA, M. D. S. Anuário de Risco de Fauna 2011-2020. Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA). Brasília. 2021. Disponível em: https://www2.fab.mil.br/cenipa/index.php/estatisticas/risco-da-fauna. Acesso em 04 NOV 2021.

SILVA, O., SOUSA, Á. Gestion de la qualité dans la recherche en sciences sociales et humaines: articulation entre les méthodes qualitatives et quantitatives. Recherches qualitatives: Hors-série. Méthodes Qualitatives en Science Sociales et Humaines: Perspectives et expériences", n. 18, p. 171-181, 2016. Disponível em: http://www.recherche-qualitative.qc.ca/documents/files/revue/hors_serie/HS-18/rq-hs-18-silva-sousa.pdf. Acesso em 02 NOV 2021.

SPINK, P. K. Pesquisa de campo em psicologia social: uma perspectiva pós-construcionista. Psicologia & Sociedade, Recife, PE, v. 15, n. 2, p. 18-42, 2003. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-71822003000200003. Acesso em 29 OUT 2021.

THEODORSON, G. A., THEODORSON, A. G. A modern dictionary of sociology. London, Methuen, 1970.

Publicado
2022-02-09
Como Citar
Da Silva, V. B., Cardoso, L. C., & Ferraz-Almeida, R. (2022). Um Estudo sobre o Formulário de Gerenciamento de Risco Utilizado em Voos Militares de Aeronaves de Asas Rotativas. Revista Agulhas Negras, 6(7), 1-23. Recuperado de http://ebrevistas.eb.mil.br/aman/article/view/8665
Seção
Artigos Científicos